Início > JORNAL DEROLÉ > Chevron-Texaco compra dois minutos no Jornal Nacional

Chevron-Texaco compra dois minutos no Jornal Nacional

Alexandre Haubrich do blog Jornalismo B

Na última quarta-feira, Brizola Neto escreveu em seu blog, a respeito do vazamento de petróleo no poço da Chevron-Texaco na Bacia de Campos, no Rio de Janeiro: “Até agora, e no primeiro dia, só a assessora de imprensa da Chevron-Texaco falou – e besteira – no primeiro dia, dizendo que era um acidente natural. Pode procurar nos jornais e nos sites: nenhum diretor da empresa deu entrevista. A empresa só fala por comunicados, fiel e inquestionadamente reproduzido pelos jornais. (…) Suas informações são repetidas sem qualquer aprofundamento ou dúvida. (…) O vazamento vai ser tampado com press-releases?”.

O que o deputado do PDT identificou se repetiu na edição desta quinta-feira do Jornal Nacional, de forma grosseira e grotesca. Uma reportagem sobre o vazamento teve um minuto e meio, mais 30 segundos com falas dos apresentadores do telejornal, e foi assinada por Tiago Eltz, mas poderia levar a assinatura da presidência da Chevron-Texaco.

A reportagem inteira é feita de cima de um avião que sobrevoa a enorme mancha de óleo. As imagens são inteiramente cobertas por informações da Chevron. Fala-se sobre a extensão da mancha, garante-se que não chegará ao litoral, explica-se o trabalho de recuperação, e jura-se que a quantidade de óleo é “muito pequena”. As expressões que introduzem todas as informações prestadas na matéria são as seguintes: “Segundo a companhia”, “a estimativa da empresa”, “de acordo com os técnicos da empresa”, “de acordo com ele (Flávio Monteiro, gerente de segurança e meio-ambiente da Chevron)”, “a empresa diz que”, “segundo Flávio Monteiro”.

Fora do corpo da matéria, William Bonner e Fátima Bernardes dão as únicas indicações de que talvez a versão da Chevron não seja a única possível. Mas o apresentador tenta deixar claro que é essa a versão mais confiável: “As informações da Chevron são conflitantes com as estimativas de ambientalistas que analisaram imagens de satélite”. No encerramento, Fátima fala rapidamente sobre a posição da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Mas a primeira frase da apresentadora esclarece muito sobre o que havíamos acabado de ver, principalmente se lembrarmos o que escreveu Brizola Neto: “A equipe da TV Globo viajou num avião cedido pela Chevron”.

A reportagem foi paga por um dos maiores interessados no assunto, pelo causador de todo o problema. É como se fosse produzida uma matéria jornalística sobre um caso de assassinato, e essa matéria fosse paga pelo réu confesso. Essa é a ética do jornalismo praticado pela mídia dominante brasileira, é dessa forma que o telejornal mais assistido do país trata temas como um desastre ambiental. É esse o respeito que diz ter pelo povo brasileiro, é esse o seu jornalismo “isento”, “neutro” e “imparcial”, como afirmou em um documento divulgado no meio do ano sobre seus “princípios editoriais”.

*O Tijolaço, blog do Brizola Neto, tem feito uma grande cobertura do caso do vazamento da Chevron, inclusive com várias outras demonstrações da cumplicidade da mídia corporativa com a multinacional, a começar pela leitura de um release da empresa no Jornal Hoje de quarta-feira.

Anúncios
Categorias:JORNAL DEROLÉ Tags:
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: