Início > JORNAL DEROLÉ > No canto da sala, “a botina do Almir”

No canto da sala, “a botina do Almir”

Por Bruno Ferreira Campos.

“Porra Jão, que sala massa essa em mano”. Assim me expressei ao ver a nova “salinha”, ou melhor, “salona” mesmo, puta salona da hora reservada no mais novo barraco do Jão, exclusivamente para tirar um som. Nem tão exclusiva assim. Afinal, depois de nos prepararmos para, em mais um louvável dia, fazer música, sem compromisso algum com a certeza do resultado, eu avistei uma botina, isso mesmo, a legítima botina de couro amarelado, daquelas que o Almir costuma vestir em suas apresentações.

 
Então a salinha não serviria tão somente para fazer música, mas para fazer arte, nos significados mais amplos que esta palavra possui. E se é pra fazer arte e a botina estava ali, no local e no momento certo, por que não coloca-lá, como complemento “sô”.

 
Não que, com ela nos pés, eu sairia pontilhando a viola ao estilo único do Almir. Que isso! cópias não são tão interessantes assim. Mas ela poderia ajudar a trazer os elementos desenvolvidos por ele. Isto seria, sem dúvidas, muito interessante. Não a botina em si, afinal ela não tem dedeira, muito menos dedo para utilizá-la em um solo ala Trem do Pantanal.

 
A botina como artifício para trazer o que o Mato Grosso do Sul tem de melhor. A botina para representar que nascemos aqui, que desenvolvemos e possuímos elementos próprios, não puros, mas com certeza próprios.

 
De início pensei e disse: “vamos de Cavaleiro do Luar?”. Puxei no violão, aquela pegada tava massa. O João logo em seguida entrou com a batera, mais do que treinado pra isso, então pra quê “um, dois, três, vai…” né?

 
Mas a coisa num vingou nesta linha não. Mandamos Locomotores, banda do sul. Barão Vermelho, de Cazuza e Frejat. Depois pedimos licença para a Legião, e saiu música de primeira.

 
Mas sempre releituras. Para tirar igual, só se desconsiderássemos nossas referências, apagássemos, da memória e coração, da razão e emoção, a nossa identidade. Que não é pura, como já disse. Mas, quer saber se é única? Pode ter certeza que sim.

Anúncios
Categorias:JORNAL DEROLÉ Tags:,
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: